quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Inútil Paisagem



Os seres humanos são obcecados por encontrar padrões naquilo que enxergam, ou sentido nas experiências do cotidiano. Por isso vemos figuras em nuvens, rostos na escuridão ou formas em rochas e montanhas.













Isto não é um pão de açúcar. E isto não é uma taça.

Como perguntou Tom Jobim, de que servem as flores que nascem pelo caminho?

Richard Dawkins fez um tour de palestras com o título “The purpose of purpose”, em que discorre sobre como a complexidade das estruturas biológicas, construídas através evolução, podem causar a falsa impressão de terem sido projetadas. Um ataque direto ao “design inteligente”. (o vídeo da palestra está no final do post)

A falsa percepção de que existe um arquiteto para a natureza, aliada a uma visão antropocêntrica, faz as pessoas enxergarem “missões” até para os animais. O que é muito incentivado pela visão religiosa, em que o homem é o ser supremo da criação e senhor das outras criaturas.

Os animais possuem vida para manter a carne fresca até que o homem decida comê-los, na explicação de um autor medieval citado por Dawkins durante a palestra. Ele cita ainda propósitos ainda mais grotescos, como o de que a lagosta tem a casca dura para que nós possamos nos exercitar ao quebrá-la.

Mas esse tipo de pensamento ainda não morreu. Como nos faz lembrar a clássica cena do “Banana Man”.



A asa de um avião serve para que ele possa planar, e a sua cauda para dar estabilidade ao voo. A mesma coisa pode ser dita das asas e da cauda de um pássaro. A diferença, explica Dawkins, é que o avião possui um propósito projetado por um engenheiro, enquanto as estruturas do pássaro tem um “proto-propósito” provocado pela seleção natural (eles tem utilidade, mas não foram projetados pela ave ou por um arquiteto).

Ao longo da palestra Dawkins desenvolve ainda a tese de que a habilidade humana de criar propósitos que são aparentemente anti-evolutivos podem ter um proto-propósito (um propósito natural, como a asa dos pássaros). Adotar crianças seria um ato anti-evolutivo, já que os pais não estão passando seus genes adiante. O que torna a adoção um ato ainda mais bonito.

A tese é uma continuação daquilo que ele já vinha desenvolvendo desde o livro “O gene egoísta”, que no capítulo final trata dos “memes”.

O início da palestra é bastante divertido, e tem até mesmo um certo ar “militante”, porque Dawkins mostra declarações de políticos americanos contra as suas palestras e elogia a eleição de Obama (a apresentação aconteceu em 2009). Sem falar nas piadinhas contra o design inteligente e a vídeo-paródia do filme “Expelled”, que ataca a Teoria da Evolução.


2 comentários:

LK Humor disse...

nao tem como ativar legendas?

Gaspar disse...

puxa, eu procurei o video com legendas mas não achei... =(

Eu me lembro de ter visto uma vez a transcrição em inglês, e apesar de ter procurado, tb não achei.