domingo, 27 de fevereiro de 2011

Resenha - O primeiro mentiroso (The invention of Lying)

Imagine viver em um mundo onde todas as pessoas só falam a verdade (e são extremamente ingênuas também).

Ricky Gervais interpreta um cara loser que vive em um mundo assim. Ele está numa pior, prestes a ser demitido e despejado. A mulher que ama (Jennifer Garner) diz que não quer ficar com ele porque não quer ter filhos baixinhos e gordinhos.

Até descobrir a mentira em uma ida ao banco. Ele se torna milionário e consegue a mulher que quiser (menos a que ama, claro).

Então ele se depara com a mãe morrendo no hospital. Para fazê-la se sentir melhor, ele fala sobre um paraíso onde as pessoas vão depois que morrem, os funcionários do hospital ouvem e começam a espalhar para outras pessoas.

E assim começa uma das maiores críticas à religião que eu já vi nos últimos tempos.
Mark (o personagem de Gervais) se torna uma espécie de Messias. Diz que se comunica com “O Homem no Céu” e causa uma revolução no lugar onde mora.

O filme basicamente mostra um cara que diz se comunicar com uma entidade que diz o que é certo ou errado, o que as pessoas devem fazer ou não, e ganha dinheiro e poder com isso. Soa familiar?

Por mais que muita gente não tenha achado o filme dos melhores ou mais engraçados (como eu por exemplo), fica a mensagem forte. Não existe nenhum religioso que assista a um filme desses e não pare pra pensar por 1 minuto que seja.



Texto escrito por: Camila Dalitz