domingo, 27 de fevereiro de 2011

Resenha - O primeiro mentiroso (The invention of Lying)

Imagine viver em um mundo onde todas as pessoas só falam a verdade (e são extremamente ingênuas também).

Ricky Gervais interpreta um cara loser que vive em um mundo assim. Ele está numa pior, prestes a ser demitido e despejado. A mulher que ama (Jennifer Garner) diz que não quer ficar com ele porque não quer ter filhos baixinhos e gordinhos.

Até descobrir a mentira em uma ida ao banco. Ele se torna milionário e consegue a mulher que quiser (menos a que ama, claro).

Então ele se depara com a mãe morrendo no hospital. Para fazê-la se sentir melhor, ele fala sobre um paraíso onde as pessoas vão depois que morrem, os funcionários do hospital ouvem e começam a espalhar para outras pessoas.

E assim começa uma das maiores críticas à religião que eu já vi nos últimos tempos.
Mark (o personagem de Gervais) se torna uma espécie de Messias. Diz que se comunica com “O Homem no Céu” e causa uma revolução no lugar onde mora.

O filme basicamente mostra um cara que diz se comunicar com uma entidade que diz o que é certo ou errado, o que as pessoas devem fazer ou não, e ganha dinheiro e poder com isso. Soa familiar?

Por mais que muita gente não tenha achado o filme dos melhores ou mais engraçados (como eu por exemplo), fica a mensagem forte. Não existe nenhum religioso que assista a um filme desses e não pare pra pensar por 1 minuto que seja.



Texto escrito por: Camila Dalitz

8 comentários:

Dauton Magnus disse...

a ironia desse filme é maior do que imaginam....


muito bom, recomendo a todos!

Djeine disse...

Assisti esse filme a algum tempo já...e me identifiquei muito por ser atéia, disse para meu namorado esse filme é muito ateu e sarcástico, ele como não é ateu nem percebeu que se tratava disso.kkkk santa ignorância...
muito bom recomendo

Nich disse...

Ops. Não conhecia este site até hoje, mas o filme sim é muito instrutivo. Realmente não tinha como fazer um filme sobre a mentira sem tocar no assunto religião, mas notem que o filme também deixa clara a importância das pequenas mentiras no relacionamento humano, e também no mundo da arte (cinema).

Moises Lages disse...

Eu pensei 10 segundos e descobri que o autor desse filme não passa de um aproveitador! O que é abordado não traz nada de novo, muito menos, algo original. Criticar é fácil, quero ver é apresentar soluções.

flateu disse...

Este filme "mexe " com uma das maiores mentiras da humanidade, a religião.Mostra que as se sentiriam pior sem essa mentira, ou seja, só temos que fazer com que essa mentira morra com essa geração atual.O homem lá do céu...afff... Será que a Globo ou a Record um dia exibirão essa jóia cinematográfica ????

Un1Bor disse...

Não, eles não páram para pensar, porque eles não pensam. Vocês não têm idéia do que é o cérebro sêco de um fiel-em-crença. Se um pastrófilo disser: Não lê o cartaz que está ali, nenhum deles passa pelo cartaz e lê. Se um padrófilo disser: "Naquela padaria tem um demônio"; nenhum deles entra na padaria. Se um mandante-parasita-chefeta-de-cremça disser: "Aquele garoto tem parte com o coisa ruim"; ninguém dirige a palavra mais ao garoto. Vão lá no Diário Ateísta, dêem uma olhada nos comentários, e vão ter a idéia exata do tamanho do problema que nós temos como Sociedade à mercê de canalhas teo-pulhíticos.

Jorge Ramiro disse...

Um vídeo muito interessante. Internet revolucionou a forma como nos comunicamos e também e muito bom para o comércio. Eu tenho um negócio de bebedouro para cães e vendo mais através da internet.

Ana Paula disse...

Filme completamente idiota que não consegue nem ao menos fazer rir (e ainda se diz uma comédia). O filme coloca um mundo que diz a verdade. Será mesmo? Tudo o que as pessoas disseram foi sua opinião, e vou contar um segredinho pra vocês: a verdade NÃO É igual a opinião que temos sobre qualquer coisa ou pessoa. As mentiras que ele contou não fizeram o casal parar de brigar, o sem teto deixar de ser sem teto. Foi tudo perca de tempo. E a referência patética às tábuas da lei de Moisés? É preciso mais inteligência pra tentar atacar a Bíblia. O que estava escrito naquelas tábuas, e em vários corações durante a história da humanidade e até hoje, chama as pessoas a amar seus pais, sua esposa, não roubar, não furtar, não dar falso testemunho, e amar a Deus, se vc achar que Ele existe e merece. Me explica onde isso é ruim? Acabem com a religião e o que sobra? Capitalismo. Se é isso que querem, se joguem, ninguém vai impedir. Mas é muito triste que uma pessoa acabe assim. Vocês ateus, tem que entender 2 coisas: que uma pessoa acreditar em Deus não a torna perfeita, e sempre vai haver gente usando o nome Dele pra fazer o mal. E vcs são tao ingenuos que acreditam. Os livros falam em teocentrismo, antropocentrismo. Mas nem o homem nem Deus foi colocado no centro do mundo, nunca. Mentiras que vocês deveriam criticar mais que a religião. Ficaadica#